sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Alto astral, debate de ideias e aprendizado marcam o IV Encontro Nacional dos Virajovens, em São Paulo




Debates e propostas de mobilização para promover o direito humano à comunicação deram o tom do IV Encontro Nacional dos Representantes dos Virajovens, do Projeto/Revista Viração. O evento aconteceu entre os dias 10 a 14 de outubro de 2010, em Mairiporã, região metropolitana de São Paulo.

Realizado pela ONG Viração - Educomunicação, que realiza projetos e cursos de oficinas de comunicação popular com adolescentes e jovens de São Paulo e região metropolitana, o Encontro Nacional dos Virajovens do Projeto/Revista Viração mobilizou cerca de 60 representações, totalizando cerca de 60 jovens de todo o Brasil no evento.

Para produzir a Revista Viração, os conselhos editoriais/conselhos virajovens espalhados por todo o país contribuem com matérias e reportagens sobre a juventude brasileira. Este ano, a novidade foi a entrada de outros adolescentes e jovens no projeto, o que visa fortalecer os virajovens e possibilitar com que o movimento se torne presente e atuante em cada Estado, possibilitando que mais jovens possam se comunicar e exercer o direito à expressão, por meio da produção de conteúdo para a revista e nas atividades formativas realizadas. O processo de produção é colaborativo, sendo que em cada estado/cidade onde o projeto está presente conta com um grupo de adolescentes e jovens que se encontram no minimo uma vez por mês, geralmente não sede de ONG´s parceiras da Viração.

Em Belo Horizonte, o conselho virajovem é formado pelo Grupo Cultural Entreface, responsável por articular outras pessoas, grupos, movimentos juvenis que tenham interesse em escrever sobre temas, principalmente, àqueles ligados à militância do seu coletivo, para a revista. Infelizmente, os conselhos virajovens não contam com recursos financeiros e o trabalho é realizado com as ONG´s colaboradoras da Vira. Em BH, a ONG Associação Imagem Comunitária cede espaço para a realização das atividades do Grupo Cultural Entreface, desde janeiro de 2007.

O Encontro Nacional também foi um espaço para os integrantes da Rede de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores (RAJCC) se encontrassem para organizar o grupo. A proposta da RAJCC é fazer incidência política de maneira articulada com o poder público, contribuindo para a criação e fortalecimento das políticas públicas para a democratização da comunicação. Além disso, o intuito é promover o diálogo e garantir a interlocução com as politicas públicas de juventude. Os quatro dias de evento também foram importantes para o estabelecimento de um programa de metas a serem cumpridas até o final de 2010 e o primeiro semestre de 2011. O Grupo Cultural Entreface será o responsável, junto à outras entidades, pela captação de recursos para as ações da Rede. No que se refere à Viração, o Entreface ficou com a função de elaborar, também junto a outras organizações, materiais que deêm suporte a mobilização de adolescentes e jovens para os conselhos virajovens do país.

Além de todo o debate sobre comunicação e juventude, o evento também contou com momentos de descontração. Uma festa ao redor da fogueira para aquecer os participantes e espantar o frio de Mairiporã, São Paulo. Também houve uma premiação bem-humorada para os jovens que se destacaram no encontro. Como exemplo, o prêmio de melhor look fashion foi para o virajovem Gleison Silva, do Piauí, Teresina. Já a participante mais "ativa", foi para a cearense Amanda Nogueira, do Virajovem Fortaleza. Ao final, a despedida, com muita choradeira, levou na bagagem o desejo de que todas as propostas sejam executadas com o objetivo de garantir o direito humano à comunicação.


Pablo Abranches
Revisão: Vanessa Veiga

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Entreface é semifinalista da 3ª Prêmio Cultura Viva 2010


O Grupo Cultural Entreface é semifinalista do Prêmio Cultura Viva, realizado pelo Ministério da Cultura (MinC), com o patrocínio da Petrobrás e coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), com o Projeto EntreMídias – Tecnologias da informação: refletindo os meios de comunicação e experimentando a mídia comunitária, desenvolvido em Rosaneves, Ribeirão das Neves/MG, região metropolitana de Belo Horizonte, desde janeiro de 2009.

A iniciativa visa capacitar adolescentes e jovens para o trabalho com as tecnologias da informação (TIC´s), tendo como objetivo mobilizar os participantes para as questões comunitárias, redimensionando a relação deles com o próprio lugar onde vivem. O projeto conta com atividades de produção em audiovisual, radiofônica e em mídias impressas numa perspectiva formativa. Os adolescentes e jovens participam de todo o processo de produção, desde a fase de elaboração do tema até a finalização do produto. As temáticas abordadas estão relacionadas com o contexto comunitário, dado que o objetivo é sensibilizar a juventude local e os demais moradores em relação aos problemas que os afligem. Além disso, a proposta é dar visibilidade também as manifestações artisticas e culturais da comunidade, possibilitando a difusão e o acesso as produções da comunidade.

A edição 2010 do Prêmio Cultura Viva contou com mais de 1.700 inscrições, oriundas de cerca de 750 municípios brasileiros. Essa etapa teve o objetivo de selecionar as 120 semifinalistas, entre as quais a iniciativa do Entreface se encontra. O objetivo do Prêmio é mobilizar, reconhecer e divulgar práticas culturais desenvolvidas em todo o território brasileiro. Nesta 3ª edição, sob tema Cultura e Comunicação, busca estimular e dar visibilidade a iniciativas que propiciam a criação de situações comunicativas e a construção de espaços de diálogos, favorecendo o reconhecimento e a divulgação do "saber fazer" das comunidades.

Os projetos classificados como semifinalistas receberão o Selo Prêmio Cultura Viva, uma chancela de reconhecimento desenvolvida para dar visibilidade às iniciativas que se destacam no processo do Prêmio Cultura Viva. O projeto EntreMídias conta com o apoio do programa Fica Vivo! e da ONG Associação Imagem Comunitária (AIC).

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Em busca de Um Milhão de Histórias de Vida de Jovens: Entreface realiza formação do Movimento na Oi Kabum! BH



Durante o mês de agosto/2010, o Grupo Cultural Entreface realizará a formação do Movimento Um Milhão de Histórias de Vida de Jovens na Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia da Oi. As atividades são executadas pela ONG Associação Imagem Comunitária (AIC) parceria do grupo.

O Entreface foi convidado pela educadora da oficina da palavra, Flávia Peret, e as atividades estão sendo realizadas com o grupo de jovens que participam da formação na área da Web. A ideia é que os jovens participantes sejam multiplicadores e que possam realizar a formação com os demais alunos da escola, que no total somam 100 jovens. Desta forma, no final serão mais 100 histórias que comporão o acervo do Movimento. Elas serão registradas nas linguagens de aúdio, vídeo e texto.

A metodologia possibitará aos jovens entender como as histórias de vida podem contribuir com elaboração de políticas públicas e assim promover melhor qualidade de vida para toda juventude do país.
















quarta-feira, 28 de julho de 2010

Entreface realiza formação do Movimento Um Milhão de Histórias de Vida de Jovens no Curso de Inverno 2010



De 26 a 31 de julho de 2010, o Entreface realiza no Centro de Formação ISTA, ligada à Pastoral da Juventude, a formação de agentes de contação de histórias do Movimento Um Milhão de Histórias de Vida de Jovens, uma iniciativa da Aracati e Museu da Pessoa.

Participam da iniciativa jovens de 17 a 24 anos, pertencentes a diversas pastorais e congragações do Estado de Minas e região metropolitana de Belo Horizonte, e ainda do Estado de Pernambuco. A proposta da oficina de comunicação comunitária é possibilitar com que os jovens conheçam experiências e meios de comunicação que auxiliem as suas comunidades na sua organização e processos de transformação social que atendam de modo especial o público jovem. Para abordar estes e outros temas, a equipe do projeto Rede Jovem de Cidadania, realizado pela ONG Associação Imagem Comunitária, realizou no segundo dia de formação, o Encontro de Diálogos. O objetivo é que os jovens pudessem conhecer iniciativas de mobilização social através dos meios de comunicação, além de discuirem sobre a linguagem e os processos de produção audiovisual com grupos, coletivos e movimentos comunitários.
Durante a oficina, os jovens registrarão suas histórias de vida em aúdio e vídeo que ajudarão a compor o acervo do movimento para juntar Um Milhão de Histórias de Vida de Jovens. Ao final da formação, o grupo será responsável por elaborar um plano de mobilização que contribuirá para a multiplicação das ações nas suas localidades de origem.

As fotos e os vídeos de toda a formação serão postados no orkut, perfil do Grupo Cultural Entreface.

13 Parada Gay do Orgulho LGBT de Belô: meu voto quer respeito, nossa luta é por direitos!!



No último domingo, dia 25 de julho de 2010, a Praça da Estação, na região central de Belo Horizonte, foi tomada por milhares de pessoas que em meio a muita festa, também reinvidicavam o voto consciente.

A agitação foi marcada por muitas cores, irreverência e muita alegria. O Grupo Cultural Entreface marcou presença na Parada para as gravações de um vídeo sobre as formas de expressão no mundo gay. Todos sabemos que o vocabulário gay é muito extenso e rico em expressões engraçadas. Aproveitamos a Parada Gay para saber diretamente deste público como funciona essa comunicação tão diferente e divertida. Além disso, investigamos sobre a comunicação visual. A moda sempre foi uma tendência forte de expressão, tanto para o público gay, quanto para o público heterosexual e que marca as gerações. Nesse sentido, decidimos perguntar o que tem de tão especial na moda dita como gay.

Em breve divulgaremos o vídeo, aqui no blog. Fiquem ligados!!




sexta-feira, 23 de julho de 2010

Projeto EntreMídias em Rosaneves/Ribeirão das Neves


A oficina de comunicação e mobilização comunitária é realizada em Rosaneves, bairro localizado em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte.

A oficina foi proposta pelo Grupo Cultural Entreface ao Núcleo de Prevenção à Criminalidade do programa Fica Vivo! através do projeto EntreMídias. São realizadas atividades de formação em diferentes mídias comunitária com adolescentes e jovens da comunidade, com o intuito de possibilitar a prática da criação midiática e, a partir daí, discutir temas ligados à própria mídia, à criminalidade, educação, cultura, política, saúde e sexualidade.

Desde 2009, os jovens já realizaram a cobertura de diversos eventos comunitários, como a Mostra Cultural Estamos Vivos edições de 2009 e 2010, do Dia "P" - Dia de Prevenção à Criminalidade e o Desfile de Moda do Grupo Entrelaços. Além disso, os jovens produziram o documentário Rosaneves, que aborda os problemas mais graves da comunidade, e a ficção "O Coletivo", que traz a história de uma turma de passageiros com características peculiares que se unem para mudar o destino de uma viagem maluca e ainda, produziram o jornal comunitário O Rosão.

As atividades acontecem no Centro Jovem de Comunicação e Cultura, localizada na Av. MadreSilva, 1346, próximo ao ponto final dos ónibus.

Para saber mais e conhecer o trabalho, acesse o blog oficinacomunicacaorosaneves.blogspot e também no orkut, perfil Oficina Comunicação Rosaneves.


sexta-feira, 2 de julho de 2010

Um Milhão de Histórias na Educação

Com intuito de dar visibilidade às histórias dos jovens de escolas públicas, o Grupo Cultural Entreface desenvolveu o projeto Um Milhão de Histórias na Educação. Sabendo que a escola é um espaõ onde o jovem vivencia várias experiências marcantes nesta fase da vida, o Entreface resolveu capacitar agentes de contação de histórias para multiplicar a metodologia nas suas comunidades. Assim, eles puderam registrar e reproduzir suas histórias em diferentes linguagens midiáticas.

video

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Juventude elabora e prioriza propostas para 1ª Confecom


A convite do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), 60 jovens de 18 estados do Brasil, representando mais de 35 instituições, se reuniram, nos dias 25 e 26 de setembro de 2009, no auditório da Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília, pra discutir propostas da juventude para uma comunicação democrática e inclusiva.

A metodologia da Conferência foi constituída por uma etapa formativa, com palestras de especialistas e debates sobre o cenário atual das políticas de comunicação; e outra propositiva, em Grupos de Trabalho, que construíram propostas que serão apresentadas como plataforma da juventude para o tema.

As mesas de debate discutiram Princípios de uma comunicação democrática; Mecanismos de participação e controle público/sócial; Concentração dos meios e mecanismos de estímulo à diversidade e a pluralidade; Internet e novas mídias, e Desafios do campo público. A metodologia contou também com um mapeamento dos processos de conferências estaduais e discutiu estratégias para que os jovens possam se inserir cada vez mais nas dinâmicas das Comissões Organizadoras locais.

Os Grupos de Trabalho seguiram o Regimento Nacional, se subdividindo em: Produção de Conteúdo, Meios e Distribuição e Cidadania:Direitos e Deveres. Cada grupo tirou 10 resoluções de cada tema. O momento interativo priorizou 3 propostas de cada eixo, aglutinando 9 propostas prioritárias de negociação.

O relatório final da Conferência Livre de Juventude e Comunicação foi composto por 31 propostas, sendo 9 mais votadas e consideradas as prioritárias. O documento será disponibilizado para cada participante como diretrizes da juventude para as Conferências Estaduais de Comunicação. Além disso, o relatório final será enviado para o caderno de propostas da sociedade civil da Comissão Nacional Pró-Conferência.

A Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadores foi ampliada e será interlocutora desse processo junto ao Conjuve. A expectativa é que o Conselho realize um encontro antes da etapa nacional com delegados jovens eleitos, para consolidar essa plataforma juvenil.

Fonte: Comissão de Comunicação do Conjuve

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Projeto desenvolvido pelo Grupo Cultural Entreface é selecionado na Mostra de projetos Enlazando Culturas y ENLACE-D 2009, na Espanha


A experiência com a metodologia do Movimento Um Milhão de Histórias de Vida de Jovens, no projeto Um Milhão de Histórias na Educação, promovido pelo Grupo Cultural Entreface, com o patrocínio do Museu da Pessoa e Aracati – Agência de Mobilização Social, foi selecionado na mostra de projetos realizado pelo Centro de Iniciativas para la Cooperación Bata, na Espanha. A entidade é uma organização de caráter não-governamental, que contribui para a elaboração de projetos alternativos de alcance nacional e internacional no âmbito educativo, cultural, social, político e econômico. A ONG se organiza em diferentes áreas, entre elas a de formação, emprego e inclusão digital e comunicação e educação para o desenvolvimento.

O projeto Um Milhão de Histórias na Educação tem como objetivo promover a participação juvenil no ambiente comunitário, fomentar a reflexão sobre o imaginário social em relação à escola, à juventude e os meios de comunicação tradicionais. Durante o projeto, os jovens participantes realizaram círculos de contação de histórias nas escolas de suas comunidades, aliada à metodologia da comunicação comunitária, no intuito de sensibilizar sobre o uso dos meios de comunicação no contexto escolar. A iniciativa conta com o apoio da AIC e da Rádio UFMG Educativa, ligada à Universidade Federal do Estado de Minas Gerais. Vale lembrar, que o projeto está em andamento desde maio, na sede da AIC. A formação acontece toda quinta-feira, de 14h00 ás 17h30.

A Mostra Enlazando Culturas y ENLACE-D 2009, acontecerá na Espanha, entre dos dias 03 a 12 de novembro de 2009. Participará do encontro um integrante do Grupo Cultural Entreface, que contará com todas as despesas pagas pela organização do evento.

Informações: gcentreface@gmail.com

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Grupo Cultural Entreface marca presença na Conferência Nacional Livre de Juuventude e Comunicação, promovida pela Revista Viração, em São Paulo


Juventude debate propostas para Conferência Nacional de Comunicação


Organizações de todo o país se reúnem neste sábado em São Paulo para construir propostas para a I Confecom. Na pauta, debates como a imagem do jovem veiculada na mídia e mecanismos de incentivo à produção e veiculação de conteúdos juvenis.

No próximo sábado, dia 25 de julho, em São Paulo, jovens de todo o país darão largada à construção de propostas da juventude para a I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom). Reunidos na Conferência Livre Nacional “Juventude e Comunicação”, eles debaterão o que querem transformar na mídia brasileira e formas de levar essas idéias para as etapas municipais, estaduais e para a etapa federal da Confecom, que acontece de 1º a 3 de dezembro, em Brasília.

A Conferência Livre acontecerá na escola estadual Carlos Maximiliano Pereira, na Vila Madalena. As atividades começam às 9h e contarão com apresentações e manifestações culturais, coleta de depoimentos em vídeo, cobertura em tempo real via twitter e rádio-falante. Toda a programação será transmitida via internet pelo site da IPTV/USP –
www.iptv.usp.br,
no canal “eventos” e a cobertura em tempo real estará no site especialmente criado para o evento: www.revistaviracao.org.br/conferencia.

O jornalista Eugênio Bucci integra a mesa de abertura e falará sobre acesso à informação e liberdade de expressão. No período da tarde, os jovens se reúnem em grupos de trabalho para discutir temas como a concentração da propriedade dos meios de comunicação, participação popular, a imagem do jovem na mídia, internet e novas tecnologias, diversidade e mecanismos de incentivo à produção e veiculação de conteúdos juvenis. Ao final, as propostas que serão levadas à I Conferência Nacional de Comunicação serão aprovadas em uma grande plenária. A Conferência Livre termina com o som do batuque do Grupo Afro Okum e Maracatu.


Está prevista a participação de 150 adolescentes e jovens de todo país. A Conferência Livre é organizada por entidades como Ação Educativa, Revista Viração, Projeto Cala-boca Já Morreu, Instituto Paulo Freire, Instituto Paulista da Juventude e Intervozes, entre outras dezenas de organizações juvenis brasileiras. A iniciativa conta com o apoio da Fundação Friedrich Ebert/C3 e do UNICEF.


Serviço: Conferência Nacional Livre “Juventude e Comunicação”
Quando: dia 25 de julho, das 9h às 17h
Local: Escola Estadual Carlos Maximiliano Pereira, Rua Jericó, 256, Vila Madalena
Mais informações para a imprensa: (11) 3237-4091/ 3567-8687/ 9946-6073 (Rafael Silva)

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Grupo Cultural Entreface: muitas novidades em 2009

O primeiro semestre para o Grupo Cultural Entreface está sendo bem agitado. Várias atividades em andamento e projetos em processo de elaboração. Ficamos sem atualizar o blog desde novembro de 2008, mas a partir de junho de 2009 prometemos postar sempre as novidades. Então, fique ligado!

O objetivo do blog é dar visibilidade aos trabalhos realizados pelos integrantes do grupo e também criar um espaço para compartilhar as experiências com comunicação comunitária.

Rede Jovem de Cidadania exibe documentário produzido com Grupo Cultural Entreface em projeto de formação com educadores do programa Escola Integrada

Amanhã, sábado, dia 27 de junho, será exibido na Rede Minas de Televisão, o vídeo-documentário produzido na formação com os educadores do programa Escola Integrada, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte. O vídeo será exibido pelo programa da Rede Jovem de Cidadania (RJC), projeto da ONG Associação Imagem Comunitária (AIC). A formação foi realizada em parceria com a entidade durante todo o ano de 2008.

A ideia do documentário é colocar em debate a importância da valorização da cultura das comunidades no ambiente escolar, aliado a uma discussão sobre a mudança dos processos pedagógicos. Assista e participe você também deste debate para a melhoria da qualidade do ensino púbico no nosso país.

Relembrando: o programa vai ar amanhã, dia 27 de junho, ás 17h, com reprises na segunda, dia 29 de junho, ás 13h30 e na sexta, dia 03 de julho, ás 18h30.

Críticas, sugestões e idéias envie para o e-mail
gcentreface@gmail.com.


Homosapiens: documentário produzido pelo projeto Oficina Itinerantes Tela Brasil em parceria com a ONG Contato, de Belo Horizonte

O documentário Homo Sapiens demonstra através de depoimentos, como o preconceito contra homossexuais ainda é presente em pleno século XXI. Além de trazer relatos daqueles que sentiram na pele à dor da discriminação. A sensibilidade de um olhar ímpar sobre a homossexualidade. Aceitação, repulsa, contradição. Hétero ou homo. Tanto faz, somos todos humanos.

Participaram da produção, junto com a equipe do projeto, Bianca Isabel de Sá, integrante do Grupo Cultural Entreface, Cibele Pereira Santos, Douglas Lima Ribeiro Oliveira, Heloísa Fernandes, Paulo Inácio e Wilma de Freitas Santos, todos indicados por instituições não-governamentais que atuam na produção de videográfica em Belo Horizonte.

Vale registrar, que os integrantes do Grupo Cultural Entreface, participaram da formação Sexualidade e Afetividade, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte. O objetivo foi capacitar os integrantes em relação à temática para o desenvolvimento de oficinas em escolas públicas e comunidades periféricas de BH.

Assista o vídeo (http://www.telabr.com.br/oficinas-itinerantes/2009/06/09/homo-sapiens/) e depois envie suas críticas, sugestões e idéias para o e-mail do grupo:
gcentreface@gmail.com.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Mobilização social: jovens do bairro Granja de Freitas produzem documentário sobre a comunidade


A ONG Associação Imagem Comunitária (AIC) em parceria com o Grupo Cultural Entreface(GCE) deu início a mais uma processo formativo em produção de mídia comunitária, uma iniciativa do programa Mediação de Conflitos e Fica Vivo! Núcleo Taquaril, do Governo do Estado. Desta vez a atividade acontece na comunidade do Granja de Freitas, localizada na região leste de Belo Horizonte.
A idéia é resgatar a história da comunidade. Para isso, os jovens participantes do projeto pensaram em produzir um vídeo documentário que revelasse as percepcões deles sobre o Granja de Freitas. A proposta é incentivar os jovens a conhecer o local onde vivem, despertando o interesse e fazendo-os refletir sobre as potencialidades e riquezas da região. Ao longo do processo, espera-se que eles possam construir uma relação de pertencimento com o Granja de Freitas, identificando os aspectos que proporcionaram o desenvolvimento da comunidade.

Os educadores responsáveis pela atividade são: Luciana Barros (AIC), Sara Silva e Pablo Abranches (GCE).

A atividade acontece todas as terças – 19h às 21h e as sextas – 15h às 18h.

Mais informações entre em contato conosco:
gcentreface@gmail.com



terça-feira, 30 de setembro de 2008

Grupo Cultural ENTREFACE rearticula o Conselho Virajovem em Minas

Está marcada para o próximo sábado, ás 14h, na sede da ONG Associação Imagem Comunitária(AIC), o retorno das atividades do Conselho Virajovem MG uma iniciativa da Revista Viração.

A Revista Viração tem como missão promover práticas de comunicação, educação e mobilização entre jovens e adolescentes. Desde 2007, o Projeto Revista/Viração entrou em uma fase muito importante, caminhando para se estabelecer como referência de mídia jovem do país. Os/as jovens que participam da produção para a revista estão espalhados pelos 21 estados e compõem os conselhos virajovens, que são articulados pelas ong´s e entidades parceiras da Revista. Em Belo Horizonte, a ONG Associação Imagem Comunitária(AIC), apóia juntamente com o Grupo Cultural ENTREFACE, a articulação do virajovem na capital mineira.

O que é Conselho Virajovem?

O conselho é um grupo composto por jovens provenientes de escolas, movimentos juvenis e organizações não-governamentais de diferentes áreas de atuação. O objetivo é incentivar a troca, intercâmbio de pensamentos e idéias, no intuito de criar um de formação colaborativo e participativo.

A próxima reunião será realizada no dia 04 de outubro, a partir das 14h, na sede da ONG Associação Imagem Comunitária(AIC), localizada na rua Aquiles Lobo, 309, bairro Floresta, em BH.

Mais informações:
Acesse www.revistaviracao.org.br ou no e-mail gcentreface@gmail.com






quinta-feira, 18 de setembro de 2008

A escola Ideal


Realizando oficinas em várias escolas, pude perceber que a maioria delas tem uma grande dificuldade de conversar e entender os alunos. Através de atuação e conversas com professores e direção, consegui perceber que há vários fatores para que essa forma de diálogo entre eles não aconteça. Um dos fatores que impede isso é a falta de estrutura familiar que esses alunos vivem em casa. Como muitos jovens são de periferias e comunidades pobres, os pais, e até mesmo os jovens, têm que trabalhar. Com isso, não sobra tempo nem para esses pais conversarem com seus filhos nem, de certa forma, para educar.


Em nossa fase de crescimento e formação, temos o instinto de escolher uma pessoa como referência – aquela história do Super Herói, que nós idealizamos em nossa cabeça quando pequenos mas que, na verdade, é só uma forma de ter uma pessoa na qual possamos nos espelhar para darmos os nossos primeiros passos. Então, em minha opinião, quando esse jovem não encontra alguém da família próximo a ele para ser sua pessoa de referência, ele acaba procurando isso nas escolas. Assim, muitos desses professores nem sabem, mas eles estão diante da tendência a desempenhar dois papéis na sala de aula: além de educar, acabam sendo também uma pessoa referência para esse aluno.


Mas nem sempre os professores conseguem desempenhar esse papel que o aluno espera, ou por não compreendê-lo ou por não querer encarar essa realidade. Entretanto, quando o aluno percebe que isso não ocorre, ele fica querendo chamar a atenção dos professores. Cada um escolhe uma maneira de fazer isso, seja de forma agressiva ou de forma ausente – é o caso daquele que vai à escola, mas não participa da aula como deveria. Isso tudo compromete de forma bem direta a sua educação.


Há ainda muitas escolas que não querem enfrentar essa realidade, porque, com certeza, todas elas sabem onde estão os problemas, mas não sabem como resolvê-los ou, de certa forma, sabem mas não querem sair desse formato padrão de “escola onde o aluno que não está dentro do padrão não faz parte dessa escola”.


Enfim, com toda essa realidade, algumas escolas – cada uma com suas particularidades – estão encarando esses problemas e compreendendo que tem que haver uma mudança drástica no atual formato de educação, e que é preciso levar em consideração todos esses fatores já citados. Temos que pensar, também, que não dá para construir uma fórmula padrão de entender os alunos. O que temos que colocar como fórmula para todas essas escolas é um novo jeito de entender os alunos: tirar a idéia que na sala de aula tem que haver uma hierarquia de professor e aluno, e perceber que na verdade os dois estão lá para uma troca.


Relatei muito a dificuldade dos professores em entender os alunos mas, na verdade, tem que haver uma reciprocidade entre eles para que as coisas comecem a mudar, porque essa mudança não vai ocorrer da noite para o dia, e sim com um grande processo de criação de novas idéias de ambos os lados.


Uma escola ideal, para mim, seria aquela escola que, ao invés de quebrar a cabeça tentando educar os alunos nesse formato atual de educação, desenvolvesse atividades nas quais houvesse uma forma de troca entre os alunos e os professores. E que mudasse também essa denominação e o conceito atual de professor, e tornasse as coisas mais lineares dentro de sala de aula.


Sei que essa mudança não é fácil, porque uma escola ideal não existe talvez nunca vá existir. Mas, com certeza, uma outra forma de educar pode ser experimentada.


Por Cristiano Cardoso Soares

Educador social e integrante do Grupo Cultural Entreface

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Turistas



" Se Deus quiser, um dia eu quero ser índio...Viver pelado pintado de verde. Num eterno domingo, ser um bicho-preguiça, espantar turista..."

BAILA COMIGO (Rita Lee)


Grafite feito no bairro Santa Tereza - Belo Horizonte

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Revista Viração encontro em São Paulo


Pablo, no Encontro Nacional dos Virajovens 2007. Encontro dos jovens representantes do conselho da Revista Viração (Pablo representante de Belo Horizonte)-em São Paulo.
"A Vira não é repositório das ações de movimentos sociais, mas é importante a participação dos jovens destes movimentos. Temos que envolver também os que não estão engajados, mas é importante que os já envolvidos com os movimentos sociais percebam que a Viração pode ajudar a divulgar estes projetos. É bom termos aliança com projetos sociais porque assim podemos ter uma discussão mais ampla, pois não estamos em todos os movimentos. O ideal é que estes movimentos cheguem na Vira e que ela possa ser um canal para eles".Carol Lemos, da Redação.

Curso de Sexualidade



O curso de sexualidade proposto pela Secretaria de Estado da Saúde ao Grupo Cutural Entreface. Ministrado por Zoé, o curso passou por processos formativos; passando pela prevenção da AIDS/DST, pelas questões de gênero, Saúde e conceito de saúde, afeto. E deste processo tiramos a conclusão, de que, a única forma de assegurar a sexualidade saudável para a humanidade é respeitando, defendenso, difundindo e promovendo os direitos sexuais em todas as esferas dos setores públicos e privados, com especial atenção aos processos de educação básica, dentro dos lares. A conquista da cidadania torna as pessoas respeitadas em seus direitos e menos vulneráveis à violência e à perda da saúde.

Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda

O Grupo Cultural Entreface articulou um programa em parceria com a Associação Imagem Comunitária, no bairro Lindéia (regional Barreiro) um vídeo documentário que mostra a iniciativa dos jovens da Escola Aurélio Buarque de Holanda, que contruiram e mantêm até os dias de hoje, uma horta comunitária aos fundos da escola. O vídeo registra, além de histórias a respeito da horta, a discussão sobre a importância daquilo que fazemos em prol do bem comum, que tipo de iniciativas e meios percebemos, que possibilite uma interação e participação das pessoas formando coletivos. Apostando na capacidade de pensar e agir em conjunto, somos capazes de criar desenvolvimento, tanto na nossa comunidade, no Brasil e no mundo.

Encontro Regional de Jovens PJE


O Instituto Credicard convidou Organizações da Sociedade Civil, no ano de 2005, no caso a Associação Imagem Comunitária/ jovens do projeto CUCO (entre eles; Giovânia, Pablo, Elaine e Cristiano - membros do GC ENTREFACE) para o Programa Jovens Escolhas, com como propósitos de contribuir para a formação de adolescentes e jovens empreendedores e construir referências metodológicas em educação pelo empreendedorismo juvenil. Para tanto foi estruturado nas seguintes linhas de atuaçãoApoio a projetos de organizações sociais voltados para a formação de jovens empreendedores; Articulação de núcleos re-editores de referências metodológicas; Apoio a projetos geridos por jovens; Formação de educadores; Avaliação e sistematização das experiências desenvolvidas; Articulação de redes de iniciativas de formação de jovens.

CUCO



Os integrantes do Grupo Cultural Entreface, Cristiano, Elaine, Giovânia e Pablo no encontro xxx pelo Projeto CUCO-Juventude, Cultura e Comunicação, desenvolvido pela AIC (Associação Imagem Comunitária) com jovens de regiões periféricas da cidade de Belo Horizonte foi uma experiência que possibilitou a sistematização de vários princípios norteadores fundamentais na prática da comunicação comunitária e foi onde estes integrantes
Os jovens integrantes do projeto CUCO participaram de um percurso formativo, de julho de 2004 a novembro de 2005, que teve como eixos norteadores a produção de mídia audiovisual na perspectiva de construção da autonomia, gestão coletiva e discussão de possibilidades de ação política no cotidiano. As atividades de formação foram propostas no sentido de estimular a reflexão e a expressão destes temas através da prática de comunicação comunitária. Sendo que hoje temos quatro integrantes do grupo cultural entreface vindos deste processo e que hoje estão a frente de lutas juvenis, e que atuam em movimentos comunitários e projetos culturais e de mídia (próprios e ligados a entidades e ONGs) realizados junto a um universo diversificado de públicos – especialmente a juventude – de Belo Horizonte.